Wednesday, May 18th, 2022

Otimização de processos para o setor de saúde: qual a sua importância?

O cuidado com o paciente deve ser uma das maiores preocupações da área médica e isso envolve tanto a qualidade do serviço quanto do próprio atendimento. Nesse sentido, a otimização de processos para o setor de saúde pode fazer a diferença.

A transformação digital permitiu que inúmeras áreas avançassem rumo a um melhor desenvolvimento de suas atividades diárias. Isso possibilita que os processos sejam mais eficientes e, ao mesmo tempo, com custos menores. 

No setor da saúde, isso não seria diferente. Afinal, independentemente do segmento, aumentar a produtividade e entregar uma melhor qualidade nos serviços é o desejo de qualquer empresa, certo?

Pensando nisso, neste artigo falaremos sobre as vantagens da otimização de processos para o setor de saúde e como implementar isso. Boa leitura!

O que é gestão em saúde?

Simplificando, a gestão é a administração de uma empresa, no caso, da área da saúde. Mas, mais do que isso, envolve construir um planejamento estratégico para fazer o gerenciamento de pessoas e recursos (como tempo e dinheiro).

A gestão em saúde pode ser aplicada tanto em empresas públicas quanto privadas. Além de hospitais, cabe também para consultórios, laboratórios clínicos ou até mesmo centros de estética.

O principal objetivo é encontrar possibilidades que sejam mais vantajosas, tanto para o cuidado com os pacientes quanto para a própria empresa.

Por exemplo, nos últimos anos o uso da tecnologia na saúde se tornou evidente e fundamental para que muitos dos atendimentos ocorressem, trazendo melhorias para todos os lados.

Muitas ferramentas podem ser utilizadas para otimização de processos, como o Google Cloud Platform, uma plataforma de computação em nuvem do Google, que promove mais agilidade e segurança, inclusive para manter os dados seguros.

Um estudo da Healthcare Cloud Computing Market indicou que a projeção de investimento em cloud computing no mercado global da saúde é de US$ 67,7 bilhões até 2025, com um crescimento anual de 18,1%. Isso mostra como a área está preocupada com essa questão.

O que podemos perceber é que, mesmo em setores mais tradicionais, a otimização de processos é sempre bem-vinda e, inclusive, tem o potencial de trazer melhorias significativas. 

Vantagens da otimização de processos para o setor de saúde

Redução de gastos

Um dos principais benefícios de qualquer otimização de processos é que eles são os maiores responsáveis por descartar gastos desnecessários. Isso porque o gestor consegue visualizar com mais objetividade onde estão sendo gastos os recursos e, caso necessário, destinar melhor cada investimento.

Mais eficiência

O uso de inovações tecnológicas permite que as equipes tenham integração com o sistema utilizado, tendo acesso às informações que sejam relevantes ao seu trabalho, sem ficar dependendo de outras pessoas. Além disso, simplifica os processos e possibilita que cada funcionário tenha funções específicas dentro da equipe.

Redução de riscos

Para implementar a otimização de processos é necessário ter um bom planejamento, como veremos a seguir. Isso inclusive proporciona um maior controle sobre os possíveis riscos que a operação pode vir a ter. Ao estar preparado para isso, os problemas podem ser minimizados e até mesmo evitados.

Melhoria dos resultados

Uma das principais vantagens da otimização é a padronização, que acabam entrando aqui também como a melhoria de resultados. Afinal, tudo isso permite oferecer um serviço de maior qualidade, inclusive proporcionando um atendimento diferenciado aos pacientes.

Como otimizar processos na área da saúde? 5 passos

1. Mapeie as necessidades

Definir as áreas que precisam da otimização de processos para o setor de saúde é fundamental para pensar nas plataformas ou softwares que podem ser utilizados. Afinal, dependendo das necessidades, pode ser indicado diferentes ferramentas.

O Google Workspace, por exemplo, serve para integrar as funções de equipes, facilitando o armazenamento e o compartilhamento de arquivos. Ele pode ser uma ferramenta interessante principalmente para a gestão, unificando as atividades em um único local.

Também vale a pena mapear os fluxos internos. Quais atividades cada pessoa realiza? Onde gastam mais tempo? Dessa forma, é possível entender os aspectos que podem ser otimizados. 

2. Faça um primeiro planejamento

Não podemos implementar nenhum novo processo sem que antes não exista um planejamento estratégico. Afinal, queremos promover melhorias e, para isso, precisamos entender exatamente onde elas devem ser feitas.

Essa é uma tarefa que pode ser considerada complexa, afinal, são muitos pontos a serem analisados. O gestor em saúde deve entender como cada parte da instituição funciona, desde a recepção até o atendimento médico, por exemplo, para pensar o que pode ser otimizado.

Uma das principais questões que podemos falar é sobre deixar os papéis de lado e tornar as etapas cada vez mais tecnológicas. Ou seja, utilizar sistemas que permitam o armazenamento de dados dos clientes, tanto de informações pessoais quanto do prontuário. 

Além disso, o mesmo software pode servir para emitir guias médicas, laudos, atestados eletrônicos, entre outras necessidades da instituição. 

Isso é apenas um exemplo do que pode ser feito, mas devemos pensar que a implementação desse novo método pode ser demorada, e isso é algo que também devemos levar em consideração.

3. Atente-se ao padrão da ANS

Não podemos falar em otimizações na área da saúde sem considerar o próprio padrão da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar). Afinal, algumas obrigatoriedades devem ser seguidas.

É vital que o gestor esteja por dentro das normas da agência, a fim de evitar futuros problemas com o órgão por conta de fiscalizações, promovendo um serviço de qualidade.

4. Use a tecnologia a seu favor

Já exemplificamos como o uso de determinadas ferramentas podem auxiliar a otimização de processos para qualquer setor, inclusive na saúde. Isso permite que as principais vantagens sejam percebidas desde o começo, como o aumento da eficiência e a padronização.

Isso é especialmente importante quando pensamos em atividades que tomam muito tempo dos colaboradores, mas que podem ser otimizadas e, às vezes, até automatizadas, para que o funcionário consiga atender a outras questões que realmente precisam da sua atenção.

5. Monitore os resultados

Por fim, com a implantação de qualquer nova ferramenta ou metodologia, é necessário sempre acompanhar como estão sendo executadas as ações e, posteriormente, entender se os resultados estão sendo positivos.

Lembre-se de que em alguns casos, dependendo das plataformas que serão utilizadas para otimização de processos para o setor de saúde, é fundamental fornecer um treinamento para que os colaboradores consigam usar a ferramenta da melhor maneira.

Esses são os cinco principais passos que devem ser seguidos para a implementação de otimização de processos. É claro que isso vai depender da disponibilidade e do tamanho de cada organização. 

É essencial que um bom tempo seja gasto no planejamento estratégico das ações, para que tudo seja feito de maneira objetiva, sendo possível enxergar as vantagens da otimização com clareza.Este post foi escrito pela equipe da Safetec, uma empresa estabelecida no conceito de inovar a forma de trabalhar das organizações, através de soluções de computação em nuvem focadas em comunicação, colaboração e produtividade.