Tuesday, August 9th, 2022

Entendendo um pouco mais sobre as informações a respeito de medicamentos

Medicamentos modernos salvam milhões de vidas por ano. No entanto, qualquer medicamento pode não funcionar para você, mesmo que funcione para outras pessoas. Ou pode causar efeitos colaterais graves para você, mas não para outra pessoa.

Sua idade, estilo de vida e saúde influenciam sua resposta aos medicamentos. Mas seus genes também. A farmacogenômica é o estudo de como a composição genética única de uma pessoa influencia sua resposta aos medicamentos.

Quais medicamentos posso comprar sem receita?

Alguns medicamentos para doenças menores podem ser comprados sem receita médica, para que você possa se tratar sem precisar consultar um médico. Analgésicos simples e remédios para tosse, por exemplo, podem ser comprados diretamente em farmácias e outras lojas.

Outros tipos de medicamentos, como colírios ou contracepção de emergência, estão disponíveis sem receita médica, mas precisam da supervisão de um farmacêutico, portanto, só estão disponíveis para compra atrás do balcão da farmácia.

Medicamentos sujeitos a receita médica, como antibióticos, devem ser prescritos por um profissional de saúde qualificado. Pode ser um clínico geral, médico de hospital, enfermeiro, farmacêutico, optometrista ou fisioterapeuta. 

É preciso ter controle sobre o uso dessas medicações sem necessidade de receita. Lembre-se: Evite a automedicação!

Compra de medicamentos online

Você também pode comprar medicamentos pela internet. Os medicamentos online são regulamentados por lei. 

Na dúvida? É melhor fazer uma teleconsulta antes de comprar remédios online. Através da telemedicina você terá o atendimento personalizado e adequado para sua necessidade. 

Nomes de marca versus genéricos

Muitos medicamentos têm pelo menos 2 nomes diferentes:

  • O nome da marca: criado pela empresa farmacêutica que fez o medicamento.
  • A nome genérico: o nome do princípio ativo do medicamento.

Por exemplo, sildenafila é o nome genérico de um medicamento usado para tratar a disfunção erétil. Mas a empresa que fabrica o sildenafila, a Pfizer, o vende sob a marca Viagra.

As empresas obtêm direitos exclusivos chamados patentes sobre cada novo medicamento que descobrem. Se uma empresa tem uma patente de um medicamento, somente essa empresa pode comercializá-lo sob sua marca, uma vez concedida a licença.

Uma vez que a patente expira, outros fabricantes podem comercializar versões genéricas. As versões genéricas serão as mesmas do medicamento de marca, pois contêm os mesmos princípios ativos. 

Eles são usados ​​com mais frequência por pessoas que desejam economizar um pouco, mas que querem a maior eficácia para tratar doenças. Se o nome do seu medicamento de prescrição continua mudando, pode ser porque você está recebendo a versão genérica em vez da de marca. 

Como os novos medicamentos ficam disponíveis

  1. Medicamentos licenciados

Antes que qualquer novo medicamento possa ser usado para tratar pessoas no Brasil, ele passa por um processo de desenvolvimento estritamente monitorado. Isso envolve pesquisar o medicamento no laboratório e testá-lo em ensaios clínicos. Depois de passar nos ensaios clínicos, uma licença será concedida antes que possa ser disponibilizada para uso mais amplo.

As licenças só são concedidas se forem cumpridos rigorosos padrões de segurança e qualidade. No nosso país, as licenças são concedidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa. As licenças confirmam a condição de saúde para a qual o medicamento deve ser usado e a dosagem recomendada. Por exemplo, o Viagra foi inventado para tratar uma série de problemas cardiovasculares, mas só é licenciado para tratar a impotência sexual masculina. 

Isto pode ser encontrado na bula que acompanha o medicamento. As instruções de dosagem geralmente estão no rótulo da embalagem do medicamento.  

  1. Medicamentos não licenciados

Às vezes, um profissional de saúde pode recomendar que você tome um medicamento off-label ou não licenciado.

O uso off-label significa que o medicamento não está licenciado para o tratamento de sua condição. Mas o medicamento terá licença para tratar outra condição e passará por testes clínicos para isso.

ATENÇÃO! Seu médico pode recomendar um medicamento não licenciado se achar que tratará sua condição de forma eficaz e os benefícios forem maiores do que quaisquer riscos.

Segurança de medicamentos

Nenhum medicamento é totalmente isento de riscos, mas a Anvisa tenta garantir que qualquer medicamento aprovado para o tratamento de pessoas no Brasil seja o mais seguro possível.

Os medicamentos continuam a ser cuidadosamente regulamentados depois de terem sido licenciados. Isso envolve a verificação de problemas e efeitos colaterais anteriormente desconhecidos.

Em casos raros, os medicamentos podem ser retirados se houver sérias preocupações de segurança ou se os riscos dos medicamentos superarem os benefícios.

O que é medicina de precisão?

A medicina de precisão visa personalizar os cuidados de saúde, com decisões e tratamentos adaptados a cada indivíduo de todas as formas possíveis. A farmacogenômica faz parte da medicina de precisão.

Embora o teste genômico ainda seja um desenvolvimento relativamente novo no tratamento medicamentoso, esse campo está se expandindo rapidamente. Atualmente, mais de 200 medicamentos têm informações de rótulo sobre biomarcadores farmacogenéticos. Algumas informações genéticas mensuráveis ​​ou identificáveis ​​que podem ser usadas para individualizar o uso de um medicamento.

O futuro da farmacogenômica

Embora a farmacogenômica seja uma grande promessa e tenha feito avanços importantes nos últimos anos, ainda está em seus estágios iniciais. Os ensaios clínicos são necessários não apenas para identificar as ligações entre os genes e os resultados do tratamento, mas também para confirmar os achados iniciais, esclarecer o significado dessas associações e traduzi-las em diretrizes de prescrição.

No entanto, o progresso neste campo aponta para um momento em que a farmacogenômica fará parte dos cuidados médicos de rotina – pelo menos para alguns medicamentos.